Desenvolvimento do equilíbrio emocional, redução de stress e de burnout, aumento da capacidade de foco e concentração, melhoria da memória, estabilidade de humor e promoção da saúde e bem-estar. Estes são alguns dos resultados encontrados pelos Centros de Pesquisa de Mindfullness em universidades como Oxford, UCLA, Miami, Harvard, Cambridge e Massachusets.

Pesquisadores estão investigando como o mindfulness pode melhorar a qualidade de vida das pessoas e ajudar a explorar o potencial humano. Além de todos estes benefícios, já se sabe que a prática ajuda na redução de transtornos como depressão e ansiedade, no aumento da resposta imunológica e na diminuição de dores crônicas.

O mindfullness é definido como a atenção plena focada no momento presente.

Um estudo de Harvard demonstrou que a prática de mindfulness por 8 semanas aumentou a atividade nas regiões do cérebro associadas a memória, empatia e stress e, pela 1ª vez, documentou a variação de massa cinzenta em função da prática de meditação.

Os exercícios de mindfullness mais conhecidos são a meditação, a yoga e o tai chi.

Algumas dicas de Harvard para quem quiser começar:

  • Adote uma atitude mais leve. Humor, prazer e brincadeiras ajudam a combater o stress.
  • Escute o que a outra pessoa está dizendo, procurando sinceramente entender o que está sendo dito, sem julgar e sem ficar se preocupando com o que vai dizer em resposta.
  • Tente alguma coisa criativa por 5 minutos todo dia.